a
© 2020 Agência Difusão.
HomeLiteraturaO MESTRE E MARGARIDA

O MESTRE E MARGARIDA

O Mestre e Margarida

O MESTRE E MARGARIDA

O Mestre e Margarida de Mikhail Bulgakov. A ação do romance ocorre em duas frentes: a da chegada do diabo a Moscou e a da história de Pôncio Pilatos e Jesus, com destaque para o primeiro.

O estilo do romance varia muito. Os capítulos que se passam em Moscou têm ritmo vivo e tom de farsa, enquanto os capítulos de Jerusalém estão escritos em forma clássica e naturalista.

Em Moscou, o demônio (Woland) vem acompanhado de uma improvável claque composta por Koroviev — homem altíssimo com seu monóculo rachado –, o enorme gato Behemoth (hipopótamo, que rima com gato em russo), o pequeno Azazello e a bruxa Hella, sempre nua. Moscou surge como um caos: é uma cidade atolada em denúncias e na burocracia, as pessoas simplesmente somem e há comitês para tudo.

No livro, o principal comitê é uma certa Massolit (abreviatura para sociedade moscovita de literatura, que também pode ser interpretada como literatura para as massas) onde escritores lutam por apartamentos e férias melhores. Há também toda uma incrível burocracia, tão incompreensível quanto as descritas por Kafka, mas que aqui vive uma atordoante e espetacular série de cenas hilariantes.

O livro tem ecos contemporâneos: o livro Os Versos Satânicos, de Salman Rushdie, tem clara e confessa influência de Bulgákov; a letra da canção Sympathy for the Devil, dos Rolling Stones, foi escrita logo após Mick Jagger ter lido o O Mestre e Margarida, assim como Pilate, do Pearl Jam, e Love and Destroy da Franz Ferdinand.

Texto: Milton Ribeiro

Share With:
Rate This Article
No Comments

Leave A Comment