a
© 2020 Agência Difusão.
HomeTurismoHIGH SCHOOL E ESPORTES NOS EUA

HIGH SCHOOL E ESPORTES NOS EUA

Intercâmbio

HIGH SCHOOL E ESPORTES NOS EUA

High School e Esportes nos EUA

Para que você possa compreender as explicações a seguir, é preciso primeiro informá-lo sobre a estrutura geral do ensino médio americano. Diferentemente do Brasil, onde iniciamos o ensino médio a partir do nosso décimo ano de vida escolar, nos Estados Unidos isso acontece um ano antes, a partir do nono ano:
9th – freshman – 1º ano do ensino médio americano
10th – sophomore – 2º ano do ensino médio americano
11th – junior – 3º ano do ensino médio americano
12th – senior – 4º ano do ensino médio americano

Se há uma dúvida recorrente entre pais e alunos brasileiros é sobre a definição da escola que o aluno frequentará em programas de High School em escola pública. Mas afinal, como isso é definido?
A definição da escola é feita através do código postal do endereço de sua família hospedeira, o CEP é a única informação levada em consideração para definir sua escola e esse critério segue uma lei federal dos Estados Unidos.
Treinadores, técnicos ou qualquer funcionário da escola públicas americanas são proibidos de “adquirir” estudantes estrangeiros para reforçar os times. Há inclusive a assinatura de um termo em que estudantes e escolas declarando que não há entre eles o recrutamento para fins de esportes.

O principal motivo para criação desta lei existir é garantir a hegemonia, competitividade dos times e a sobrevivência do esporte em todas as escolas.

Quando o estudante chega para o programa de intercâmbio e é um esportista, deve procurar pelo técnico e pedir para entrar para o time. Após a realização de alguns testes, o treinador decide se o estudante fará parte:
do Varsity, time que disputa campeonatos;
do pré-Varsity, time que está sendo preparado para substituir os atuais Varsity;
do freshman, time que está aprendendo a jogar.

Os esportes nos EUA são por temporada e a cada trimestre mudam todos, baseado em condições climáticas (as estações) e para que todos possam usar a quadra, o campo, a piscina, meninos, meninas, varsity, freshman, etc.

Regras, precisamos falar mais sobre elas

É importante informá-los que nem toda a escola permite que o estudante internacional seja Varsity e que cada estado possui as próprias regras para cada modalidade esportiva. Veja, por exemplo, as regras do estado da Califórnia: https://www.cifstate.org/landing/index

A agência emissora do estudante internacional precisa ser cadastrada no CSIET americano, caso contrário o estudante dela não poderá participar de times e campeonatos.

Após todos estes anos de atuação no mercado, vivência internacional e aprimoramento teórico constante, posso dizer com muita segurança que não existem bolsas pela prática de esportes no High School americano. Se alguém te oferecer isso, infringirá a lei e a escola americana pode até perder o direito de receber estudantes estrangeiros.

O mesmo não se aplica às universidades que podem sim recrutar estudantes internacionais para reforçarem seus times e é comum ter “olheiros” de universidades americanas assistindo aos jogos dos times de High School para recrutar estudantes.

O melhor a ser feito pelos alunos esportistas é se se candidatem a um ano letivo de programa de High School, podendo escolher dentre as duas modalidades existentes aquela que melhor se adequa ao seu perfil:

J-1
Programa em que as famílias são voluntárias e não recebem nenhum incentivo financeiro pela hospedagem, por esse motivo o estudante não escolhe a família e consequentemente não escolhe a escola. Por falar em escola, neste programa as instituições de ensino são públicas e não cobram do estrangeiro.

Este programa de intercâmbio precisa ser feito através de uma organização dos Estados Unidos que possua autorização do departamento de estado americano para funcionar e autorização para a emissão o documento do visto DS2019 uma vez que as vagas são numeradas e limitadas.

Levando em consideração o ano escolar nos EUA começa em agosto de um ano e termina em junho do ano seguinte, o estudante que embarca em agosto pode ir para um semestre e optar posteriormente pela prorrogação para mais um semestre ou pode optar desde o início por um ano letivo.
Já o estudante que embarca em janeiro, pode ficar apenas um semestre letivo, sem direito a prorrogação.

Então: o máximo de tempo que um estudante pode ficar no programa de High School J-1 é um ano letivo. Pela lei americana, um estudante estrangeiro não pode fazer mais de um ano letivo em escola pública com o mesmo tipo de visto.

O estudante que opta pelo J-1 não pode ser repetente e nem reclassificado na escola brasileira, precisa manter a frequência escolar até o dia do seu embarque para os Estados Unidos e ter nível de conhecimento intermediário do inglês pois não é permitido ao estudante deste programa fazer aulas de inglês para estrangeiros, mesmo que este curso esteja disponível em sua escola.

Um estudante com visto J-1 não pode morar com parentes ou família natural, a colocação deve ser em uma família legalmente cadastrada pelo programa.
Há ainda a exigência do seguro-saúde que deve seguir as regras do Departamento de Estado Americano.

O que faz a diferença neste programa é a preparação dada ao estudante pela agência brasileira, a experiência e comprometimento da organização americana em realizar o programa.

F-1
Programa em que as famílias recebem ajuda financeira pela hospedagem e as escolas podem ser públicas, porém pagas pelo estrangeiro, ou particulares.
Se a escola for pública, o estudante escolhe o distrito e um distrito pode ter várias escolas. Se a escola for particular, o estudante escolhe a escola.

Seguindo a legislação americana, o máximo de tempo que o estudante pode ficar neste programa em escola pública, mesmo sendo paga é um ano letivo.

Neste programa algumas escolas permitem que o estudante faça o intercâmbio por um ano, mesmo com início em janeiro e neste caso o estudante volta para o Brasil nos meses de férias, embarca novamente para reinício das aulas no do segundo semestre, mas tem que pagar pelo programa de 1 semestre 2 vezes.
Cada escola ou distrito possui um valor diferente de investimento e precisa ter uma autorização para emissão do documento denominado I-20.

Por determinação do Departamento de Estado Americano, um estudante estrangeiro não pode fazer dois anos de programa com o mesmo tipo de visto em escola pública. Assim sendo, o estudante que deseja fazer dois anos de High School nos EUA deverá obrigatoriamente nesta ordem:
fazer 1 ano no visto J-1;
fazer 1 ano no visto F-1.
Para alunos que optem em fazer um terceiro, este será possível somente em escola particular com visto F-1.

Sobre responsabilidades

Em escola pública, sendo paga ou gratuita, a colocação e responsabilidade é ser assumida por uma agência de intercâmbios, a escola não pode assumir a responsabilidade.

Em escola particular, sempre paga, a escola pode escolher se quer trabalhar diretamente com estudantes e seus pais ou se quer trabalhar através de agências americanas autorizadas a assumir a responsabilidade.

Mas afinal, qual o melhor programa para os estudantes esportistas?
A escolha dependerá tão somente do seu objetivo e do seu ponto de vista.

Alguns acreditam que é o programa J-1 pois o estudante é colocado em cidades menores e tem mais chances de ficar em evidência.

Já outros acreditam que é o F-1 particular, pois são escolas que contratam ex-jogadores famosos como técnico dos times.

Quando olho o histórico obtido em 27 anos de exercício da profissão, vejo que as melhores oportunidades foram dadas aos alunos que estavam em cidades menores.

Texto: Perpétua Devite
Diretora da FYI Intercâmbio

Compartilhar com:
Avalie este artigo

redacao@agenciadifusao.com.br

Sem comentários

Deixe um comentário