a
© 2020 Agência Difusão.
HomeComunidadePresos políticos Mapuche em greve de fome no Chile

Presos políticos Mapuche em greve de fome no Chile

Presos políticos Mapuche em greve de fome no Chile

Nesse momento 26 presos políticos do povo Mapuche no Chile estão em greve de fome a 117 dias, e em greve seca a quatro dias.  Dos 26 PPM os de LEBU são 12 que hoje cumpre 57 dias de greve de fome e alguns destes estão a 6 dias em greve seca. Foram tirados a força para o cárcere de El Manzano na cidade de Concepción.

Mesmo numa situação grave de saúde foram golpeados e seus familiares reprimidos no acampamento na frente da prisão.Estão divididos nas prisões das cidades de Lebu, Temuco e Angol região tradicional deste povo.

Mapuche significa Povo da Terra e sua luta é para o Estado reconhecer o direito à autodeterminação, a desmilitarização das suas terras e a devolução de parte do seu território ancestral, a não aplicação da lei antiterrorista contra seus guerreiros e o respeito a Convenção 169 da OIT da Nações Unidas.

A única maneira que eles encontram atualmente para serem ouvidos é oferecer seus corpos em sacrifícios como um instrumento de luta para serem ouvidos, uma vez que as reuniões oficiais com o governo não tem sido produtivas e suas reivindicações não são atendidas.

Como consequência do longo período da greve de fome, os corpos dos jovens guerreiros começaram em um processo autofágico gravíssimos com risco iminente de mortes. O Estado com seus médicos estão conduzindo forçadamente os doentes para os hospitais da região. Problemas de rins, hipoglicemia e urinar sangue já está acontecendo com alguns.

Os familiares e apoiadores da causa Mapuche estão juntos com seus lutadores dando todo apoio embora os carabineiros dificulta as informações e usa de muita violência para impedir a divulgação e o apoio externo. Palavras de ordens e cânticos de guerra com seus instrumentos tradicionais são entoados com suas bandeira içadas nas manifestações de protestos.

Os Mapuche são reconhecidos como um povo que nunca se dobrou ao colonizador, não são reconhecidos como os Maias, Astecas e Incas com seus monumentos arquitetônicos que hoje servem como ponto turístico, mas sua bravura está registrada nos próprios anais da história da colonização por um poeta da corte espanhola que assim se dirigiu as rei descrevendo os Mapuche:

Não houve jamais rei que conseguisse sujeitar esta soberba gente liberta, nem estrangeira nação que se jactasse de haver pisado seus territórios, nem terra comarcana que ousasse mover-se contra ela ou levantar-lhe espada. Essa gente sempre foi livre, indômita, temida, com lei própria e cerviz erguida“.
(La Araucana, poema de Alonso de Ercilla y Zúñiga, 1533-1594).

A ex-presa política Patrícia Troncoso (La Chepa) que anos atrás fez uma greve de fome de 112 dias tem sido uma fonte de inspiração para essa nova geração de guerreiros Mapuche e continua com eles e seus familiares dando todo apoio. Estes jovens Mapuche seguem a tradição de seus heróis do passado que mantiveram seu povo independente e soberano sobre o território Wallmapu.

O Comitê de Apoio ao Povo Mapuche no Brasil junto com…

Manifesta seu total apoio aos PPM e exige o cumprimento da Convenção 169 da OIT e a libertação de todos os Presos Políticos Mapuche.

A Frente de Apoio dos Povos Indígenas do Brasil – FAPIBSP, do Estado de São Paulo, já está colaborando juridicamente para reversão das prisões políticas. Estão dando todo o auxílio jurídico no Chile para as famílias das lideranças do Povo Mapuche.

Share With:
Rate This Article
No Comments

Leave A Comment